Marketing de conteúdo: tudo que você precisa saber para começar a utilizá-lo

Marketing de conteúdo: tudo que você precisa saber para começar a utilizá-lo

O marketing de conteúdo é uma abordagem de marketing estratégico focada na criação e distribuição de conteúdo valioso, relevante e consistente, para atrair e reter um público claramente definido e, em última instância, impulsionar a ação lucrativa dos clientes.

Ao invés de lançar seus produtos ou serviços, uma empresa fornece conteúdo verdadeiramente relevante e útil para seus clientes potenciais e consumidores, a fim de ajudá-los a resolver seus problemas.

Vale ressaltar que esse artigo é bem extenso e aborda os principais pontos estratégicos relacionados ao universo do marketing de conteúdo.

Segue o sumário do texto. Caso queira pular para uma sessão específica, basta clicar no link.

    1. Para que serve o marketing de conteúdo?
    2. Como fazer marketing de conteúdo?
    3. Planejamento
    4. Criação de conteúdo
    5. Funil de vendas: uma outra forma de direcionar o seu conteúdo
    6. Distribuição
    7. Análise e mensuração
    8. Criação de um blog
    9. Como o marketing de conteúdo se relaciona com SEO?
    10. Boas práticas para criação de conteúdos para blog
    11. Considerações finais sobre marketing de conteúdo

O marketing tradicional está cada vez menos eficaz. A nova realidade relacionada ao marketing digital, contudo, é cada vez mais forte e crescente, fazendo do marketing de conteúdo uma das suas principais estratégias.

No entanto, o marketing de conteúdo não trabalha sozinho. Ele funciona em conjunto com duas outras frentes do marketing digital: o SEO (Search Engine Optimization) e o Adwords (anúncio pago do Google).

Temos outros conteúdos que tratam especificamente dos conceitos de SEO e Adwords, bem como a sua relação com a frente de conteúdo.

Marketing de conteúdo é uma abordagem do marketing digital focada na criação e distribuição de conteúdo valioso, para aumentar o tráfego orgânico do site (ou blog).

Para que serve o marketing de conteúdo?

Oferecer um produto ou serviço através de uma publicidade tradicional tem se tornado cada vez mais ineficiente e até mesmo caro. Todavia, apresentar um conteúdo completo sobre esse produto ou serviço, além de escrever artigos significativos a respeito de curiosidades, atualizações e informações do ramo, fideliza clientes e gera maior tráfego orgânico no seu site (ou blog), o que aumenta a abrangência do seu público.

Ao invés de investir em um comercial de TV, um anúncio impresso ou utilizar estratégias mais antiquadas, as empresas oferecem artigos gratuitos na web, que despertam o interesse do seu público alvo. Essa é uma das principais estratégias do inbound marketing, uma forma de marketing da era digital, que se molda às necessidades dos clientes e seus desejos.

Atualmente, vários desses artigos vêm acompanhados de vídeos, um tipo de mídia cada vez mais usual, devido ao aspecto visual, que além de facilitar a compreensão, cria uma interação maior e, consequentemente, transmite a mensagem de uma forma mais dinâmica e objetiva.

A partir desse cenário, entendemos que o marketing de conteúdo não chega para impor algo às pessoas. Ele oferece informações importantes, para cativar o público. É a partir desse propósito que se traz novos consumidores, atraídos pelo conteúdo em questão, que interagem através de curtidas, compartilhamentos e opiniões, tornando-se, dessa forma, visitantes e, consequentemente, leads em potencial.

Lead em potencial, pois para se tornar um lead efetivo, ou seja, consumidor em potencial, esse visitante precisa cadastrar o e-mail dele no banco de dados da sua empresa, avançando no funil de vendas.

Gerar leads é uma etapa fundamental do processo de inbound marketing, que traz muito retorno para o negócio, em médio a longo prazo, independente do ramo em que a empresa atua.

Para que todo esse caminho seja percorrido é necessária a geração de uma visibilidade maior na internet. Os algoritmos de busca do Google não se baseiam mais somente em conteúdos desenvolvido apenas levando-se em conta as técnicas de SEO. Possuir conteúdo de qualidade e relevante é tão importante quanto se preocupar com a parte de SEO.

Um bom conteúdo tende a aumentar a permanência dos visitantes interessados no assunto abordado, fazendo com que cresça a quantidade de usuários ativos, o que contribui positivamente para um melhor ranking de uma página no Google e principais buscadores do universo online.

Outro ponto muito importante de uma boa estratégia de conteúdo é diminuir o custo de aquisição dos clientes (CAC), que nada mais é do que o custo que a empresa tem para adquirir novos clientes.

Se você tem mais usuários acessando seu site através de um tráfego orgânico, não pago, consequentemente você tem oportunidade de converter parte desses usuários em clientes, com um custo mais baixo, ou seja, com um CAC menor.

O último aspecto vantajoso é melhorar o pós-venda. Seja através de um FAQ ou de um e-mail marketing bem orientado, como um agradecimento pela compra – ou ainda um acompanhamento de entrega do produto – faz aquele cliente se sentir importante para a sua empresa, gerando uma maior taxa de fidelização ao negócio, através de uma interação mais próxima entre ele e a empresa.

Em suma, o marketing de conteúdo auxilia em 6 pontos estratégicos fundamentais: nutrir sua base de leads, aumentar a visibilidade na internet, aumentar a interação dos usuários com a sua marca, ganhar confiança do público ativo, reduzir o custo de aquisição dos clientes e tornar a experiência pós-venda mais interessante para o usuário.

Como fazer marketing de conteúdo?

Devemos lembrar que antigamente as empresas brigavam por espaço para expor um conteúdo de qualidade. Hoje, a internet oferece um espaço ilimitado. Ao mesmo tempo que isso facilita a vida de todos, ela aumenta a disputa pela atenção.
Para chegarmos a excelência, devemos seguir as quatro etapas do marketing de conteúdo: planejar, criar, distribuir e analisar. Depois dessas etapas, saberemos como aplicar e executar uma boa estratégia de marketing de conteúdo.

Planejamento:

O planejamento serve para entendermos como o conteúdo será usado, seu objetivo, quais as intenções de busca serão atacadas, qual será o assunto abordado, dentre outros aspectos. No entanto, deve ficar claro que, o planejamento envolve algumas estratégias mais críticas, como a definição do título, por exemplo, que deve ser feito com extremo cuidado.

Planejar um bom tema, mas sem um título atrativo e que cative o público alvo, não surtirá muito efeito, especialmente se você tiver um site novo, ou seja, já possuir concorrentes com um domínio de autoridade maior do que seu (e que tem maior facilidade de obter melhor ranking).

Entretanto, executar um bom planejamento, não se restringe apenas a escolher um título apropriado para o seu conteúdo. Inicialmente, é preciso definir os objetivos daquela publicação, depois quais serão os KPIs (indicadores de performance), quais são as personas e, por fim, quais serão os canais e ferramentas de comunicação.

Definição dos objetivos

É primordial traçar objetivos que tragam benefícios reais para a sua empresa. Essa definição de objetivos ajuda a definir quais métricas precisam ser acompanhadas, bem como quais ações devem ser tomadas para melhorar os resultados alcançados.

As métricas são definidas de acordo com o mercado em questão, mas de forma mais geral, há algumas que valem para qualquer ramo de aplicação. Vamos a elas:

Gerar brand awareness

O brand awareness, ou notoriedade da marca, é usado para identificar a forma como um potencial cliente percebe sua marca. Trocando por miúdos, um cliente tem maior chance de comprar um produto, ou contratar um serviço de uma empresa que ele está acostumado a ler artigos, por exemplo.

Gerar engajamento

Aumentar o engajamento dos usuários com empresa, através de conteúdos realmente relevantes. Isso torna o relacionamento entre empresa e cliente muito mais próximo, fidelizando esse consumidor.

Gerar leads

A geração de leads já foi previamente discutida, mas não custa salientar a importância desse processo de conseguir informações relevantes de potenciais consumidores do produto (ou serviço) ofertado.

Diminuir o CAC

Esse é um dos principais objetivos da estratégia de conteúdo e uma das métricas mais importantes, e que deve ser analisada com frequência, para determinar que sua estratégia está tomando o rumo que deveria.

Aumentar o lifetime-value (LTV)

Lifetime-value é o quanto um cliente gasta com determinada empresa. Isto é, se você tem um cliente que compra 3 produtos de R$100,00, em média, ele possui um LTV de R$300,00.

É mais barato, para a empresa, vender novamente para um mesmo consumidor, do que trazer novos consumidores para o negócio. Portanto, aumentar o LTV é uma ótima estratégia a ser seguida.

A estratégia de marketing de conteúdo envolve diversas etapas e processos, que trabalham de forma conjunta.

Criação de conteúdo:

Desenvolver os conteúdos que caibam dentro da intenção e proposta da empresa. Claro que isso não é suficiente, afinal de contas de nada adianta ter um artigo que atenda a esses requisitos, se ele não estiver muito bem escrito, com boa estrutura textual, coesão e objetividade.

A relevância do conteúdo é uma etapa essencial para um bom ranking da página, independentemente do seu domínio de autoridade ou o seu público alvo. Para aumentar o tráfego orgânico, escreva conteúdos realmente relevantes e atrativos, que gerem valor para quem o lê.

Essa geração de valor através do conteúdo, traz uma melhor percepção do seu negócio, além de conferir credibilidade e confiabilidade por parte do leitor. Isso sim, aumentará o seu tráfego diário e, consequentemente, impactará de maneira positiva no acesso ao site, na geração de leads e nas vendas.

Definição da persona

Já falamos aqui que os leads são muito importantes para qualquer negócio. No entanto, por que eles são tão essenciais?

Simples. Um lead ativo é um cliente em potencial, ou seja, uma buyer persona (ou simplesmente persona) da empresa. Buyer persona nada mais é do que um personagem que representa um cliente ideal da empresa, criado para auxiliar o seu negócio a compreender melhor quem é de fato o seu cliente e quais as melhores estratégias devem ser adotadas, para atingir as necessidades dele.

Definir a persona que será atacada é essencial para que seja feita uma criação de conteúdo de maneira certeira, pois ela é voltada para aquele público definido, afinal de contas nenhum artigo escrito conseguirá atingir todas as pessoas do universo online.

Portanto, definir qual público será o alvo atacado com uma publicação é uma estratégia prioritária para se obter sucesso com o conteúdo em questão. Não deixe de definir sua persona, caso queira ter resultados realmente impactantes.

Como definir uma persona?

A definição da persona é importantíssima para a estratégia como um todo. Mas como definir uma persona? Basicamente, são 3 modos: entrevistas com clientes, pesquisas de mercado e pesquisas online.

Entrevistas com clientes

Essa é a melhor forma de levantar dados que auxiliam na criação de uma persona, uma vez que os clientes representam as reais pessoas que comprar o seu produto (ou contratam o seu serviço).

Vale ressaltar que, por serem consumidores, eles estão mais abertos a interagir com a empresa e responder um pequeno questionário, por exemplo.

Pesquisas de mercado

Menos eficaz do que a entrevista com clientes, mas ainda assim uma arma poderosa para conseguir informações relevantes, a respeito do comportamento de mercado, preferências do consumidor, dentre outras.

Pesquisas online

A pesquisa online possui prós e contras, que devem ser analisados. Positivamente falando, no universo online você consegue uma abrangência de público maior, além de poder segmentar essas pesquisas para redes sociais que atraiam mais o seu público, como o Facebook ou Twitter.

Todavia, como a abrangência é maior, e a grande maioria do público não conhecerá sua marca, se faz necessária, em muitos casos, uma ação de incentivo, como cupons de descontos na hora de efetuar compras, para que sua empresa consiga despertar um maior interesse desses usuários.

Definir a persona é uma etapa essencial da sua estratégia de conteúdo.

Funil de vendas: uma outra forma de direcionar o seu conteúdo

O funil de vendas é uma representação de todo o processo de vendas, desde o contato inicial do cliente até a venda concretizada.

Ele se divide, basicamente, em três etapas: topo, meio e base de funil. Como um dos objetivos principais do marketing de conteúdo é gerar publicações que agregam valor ao cliente, pode-se pensar em qual etapa do funil encontra-se aquele usuário que você quer atingir.

Topo de funil

Um usuário topo de funil está longe da compra de qualquer produto. Essa persona não busca soluções para um problema. Pelo contrário, na maioria das vezes, ela busca apenas se informar sobre o assunto.

Nessa etapa inicial do funil, o objetivo é atrair a atenção do leitor e levá-lo para dentro do processo de vendas.

Portanto, um conteúdo de topo de funil deve ser muito relevante, para que chame a atenção do leitor e o faça conhecer a sua marca, se familiarize com ela, a fim de voltar novamente ao seu site, quando surgir um novo interesse relativo ao ramo de atuação do seu negócio.

Isso gera maior visibilidade da sua marca, além de um impacto positivo por parte do, agora, potencial cliente.

Meio de funil

No meio de funil encontram-se os potenciais clientes do seu negócio, uma vez que esse tipo de persona já possui alguma necessidade e está em busca de soluções para o seu problema.

Como, nessa etapa, há a procura por uma solução de algum problema, uma estratégia interessante é criar conteúdos que demonstrem o alto conhecimento da sua empresa com aquele tema.

Portanto, invista em conteúdos com caráter mais técnicos, vocabulários próprios da área de atuação, riqueza de detalhes, dentre outros aspectos que deixam claro o quanto seu negócio é especialista no assunto.

O objetivo final do meio de funil é entregar, para a próxima etapa, um lead qualificado.

Base de funil

O lead dessa etapa já está buscando pelo produto ou serviço ofertado pela sua empresa, mas ainda procura por informações que confirmem a sua escolha.

Os conteúdos de base de funil devem ser informativos, contudo precisam ser focados explicitamente no seu produto ou serviço.

Dessa forma, os usuários percebem que a solução oferecida pelo seu negócio é realmente a melhor, além de ser a que mais contempla suas necessidades.

Portanto, nessa etapa escreva artigos bem direcionados para usuários com intenção de compra, mas que ainda não definiram a solução ofertada pela sua empresa.

Distribuição:

A distribuição é mais uma etapa importantíssima. Além de distribuir o seu conteúdo nas mídias sociais, bem como no blog do seu site, deve-se levar em conta a periodicidade com que se publica esse conteúdo.

Portanto, crie e distribua conteúdos relevantes mantendo um padrão de publicação. Não importa se será apenas uma vez na semana (quanto maior o número de artigos relevantes, melhor), uma vez na quinzena ou uma vez por mês.

O importante é que isso seja feito sempre em determinado dia e horário, para que o público se acostume a encontrar artigos importantes com uma periodicidade definida, gerando uma maior fidelização por parte dos usuários.

Os meios, canais e ferramentas, pelos quais será feita a distribuição dos conteúdos é tão primordial para o sucesso da sua estratégia, que eles serão abordados de uma maneira mais aprofundada adiante.

No entanto, vale ressaltar que os principais canais de distribuição são: blogs, mídias sociais (Facebook, Twitter, Google +, dentre outros) e canais de vídeo (Youtube, Vmeo e outros).

Análise e mensuração

Através das várias métricas existentes, como segmentação de público, por gênero (masculino ou feminino), idade, dispositivos utilizados, horário e data de acessos, por exemplo, podemos conhecer o número de visitas de uma página, os leads gerados, os compartilhamentos, desempenho de conteúdo por autor, desempenho de conteúdo por tópico, desempenho de conteúdo por formato, dentre outros.

Além disso, utilizando o Google Analytics, uma ferramenta extremamente poderosa e fundamental para qualquer estratégia de marketing digital, é possível criar filtros e métricas personalizadas, analisar os resultados destes, verificar quais são os pontos de rejeição (que precisam de melhorias), bem como os de maior conversão (que podem ser mantidos ou ampliados).

Esses indicadores são conhecidos como KPIs (indicadores-chave de performance). Com os KPIs em mãos, é possível elaborar uma melhoria contínua no seu site, através de correções onde ocorrer as principais rejeições e manutenção, e aumento em alguns casos, das métricas de maior conversão.

Vale lembrar que cada objetivo, como gerar engajamento, gerar leads, brand awareness, diminuir o CAC e aumentar o LTV, possui o seu KPI, ou seja, possui a sua métrica que deve ser analisada.

A partir de uma análise criteriosa de cada KPI do projeto, pode-se alterar o rumo de uma estratégia ou ampliá-la, para obter resultados ainda mais satisfatórios.

Calculando o ROI

O ROI (return on investiment), ou seja, retorno sobre investimento, é outra métrica essencial para o seu negócio, uma vez que ela mede a eficiência do investimento feito.

A grande dificuldade de se calcular o ROI é determinar qual foi o “valor gerado”, entretanto para objetivos mais concretos ele torna-se claro, como a renda obtida em um determinado período de estudo.

A fórmula de cálculo, contudo, é bem simples:

ROI = (ganho gerado pelo investimento – custo do investimento)/custo do investimento

Para facilitar a compreensão do conceito de ROI, vamos tomar um exemplo qualquer. Vamos supor que, para apresentar um novo produto em um evento do ramo que durava 3 dias, você investiu R$70000,00. Durante o período do evento, seus consultores conseguiram vender 70 produtos, no valor de R$3000,00 cada um, ou seja, você obteve uma renda de R$210000,00.

Portanto, qual foi o seu ROI no evento?

ROI = (210000,00 – 70000,00)/70000,00
ROI = 2 = 200%
Dessa forma, com um ROI de 2 (ou 200%), para cada real investido no seu produto, você ganhou R$2,00.

Taxa de abertura

A taxa de abertura indica se os seus e-mails estão sendo abertos ou não. É extremamente importante determinar essa métrica, pois você pode analisar se há muita ou pouca abertura dos seus e-mails, o que precisa ser melhorado, por que ele está tendo uma taxa maior de rejeição, se o horário e dia de envio estão adequados, se o conteúdo do e-mail está de acordo com o que busca aquele público, dentre outros aspectos.

Quantidade de cliques

Depois de analisada qual a taxa de abertura do seu e-mail, é primordial saber qual a taxa de cliques obtida (no link que você estiver enviando). Uma boa quantidade de cliques indica que você está seguindo um direcionamento correto.

Contudo, caso a quantidade de cliques seja muito baixa, algo está errado. Pode ser o lay out do próprio e-mail, pode ser um link sem muita congruência com o que busca aquele público. Enfim, isso vai depender do seu ramo de atuação, mas essa é uma métrica fundamental para a sua estratégia.

Taxa de rejeição

A taxa de rejeição determina quais e-mails não foram entregues e voltaram para a origem de envio. Os e-mails podem voltar por diversos fatores, dentre eles: problema com o servidor, problema com a internet, erro técnico ou e-mail inexistente.

Taxa de cancelamento

Essa métrica representa a quantidade de usuários que retiraram o cadastro dos seus e-mails, para aquele tipo de campanha.

Tome muito cuidado com ela, pois uma quantidade significativa de cancelamento significa que o sinal de alerta deve estar ligado e novas estratégias devem ser adotadas, com a intenção de diminuir o máximo possível essa taxa.

Com base nas etapas a serem seguidas, percebe-se que fazer marketing de conteúdo não é apenas criar um artigo e postá-lo nas mídias sociais. Sendo assim, conheceremos quais outras estratégias estão envolvidas com o marketing de conteúdo, para quem busca resultados efetivos.

Elaborar uma boa estratégia de conteúdo é um processo muito mais complexo do que se pensa.

Criação de um blog

Um site completo de uma empresa deve conter um blog para aproximar os clientes à marca. Essa continua sendo a forma mais tradicional, comum e eficaz de atração na internet, onde é possível ter total controle de todas as ações de marketing de conteúdo.

O blog é a porta de entrada para futuros clientes. Já foi dito, mas não custa ressaltar, que bons artigos na web despertam o interesse dos internautas em lerem. Portanto, não basta ter apenas um blog. Os artigos, infográficos e/ou vídeos devem ser muito bem produzidos e sempre atualizados.

É necessário, ainda, entender bem seu público-alvo e seus leads, para assim saber exatamente qual será a periodicidade de postagens, os materiais que serão publicados e a linguagem utilizada, por exemplo.

Aqui, quantidade também não é sinônimo de qualidade. Um artigo de qualidade deve estar otimizado, através de técnicas de SEO. Um texto bem escrito, aliado as técnicas de SEO, fará o volume de acessos ao blog crescer a cada dia.

Investir em Redes Sociais

As rede sociais deixaram de ser apenas uma opção de lazer há muito tempo. Elas já fazem parte das estratégias de se chegar a um potencial cliente, servindo tanto para atração, quanto para relacionamento e venda.

É através das redes sociais que um artigo de qualidade chegará ao conhecimento das pessoas, inclusive aquelas que ainda não conhecem sua empresa. Facebook, Linkedin e Google Plus são ótimas opções para divulgar um texto, sendo conhecidas pelos internautas como os melhores canais de consumo de conteúdo.

Além do Twitter, usado pelas pessoas para se manterem atualizadas sobre os assuntos que as interessam. O Youtube é perfeito para compartilhar vídeos, assim como o Vmeo que cresce a cada dia. Sem contar o Instagram e o Pinterest, por exemplo, que servem de base para conteúdo exclusivamente visual.

O poder de disseminação de conteúdo e de viralização desses canais é incrível, sendo uma fonte fantástica de tráfego e de geração de leads para o site de uma empresa.

É sabido que as principais redes sociais são multimídias e utilizá-las periodicamente para produzir textos, infográficos, montagens, vídeos, transmissões ao vivo, concursos, fotografias e gifs, por exemplo, é um ótimo caminho a ser seguido.

As redes sociais oferecem a oportunidade de mensurarmos os resultados das nossas atividades. Publicações com mais curtidas, comentários e compartilhamentos são entendidos pelas redes sociais como conteúdos de qualidade. O que faz dessa alternativa algo ainda mais positivo, em se tratando de marketing de conteúdo.

A importância das redes sociais

Quando discutimos anteriormente sobre investir nas mídias sociais, já pudemos entender sua importância dentro de todo esse contexto apresentado nesse artigo. Seja o Facebook, Twitter, Instagram, Google +, Flickr, Linkedin e tantas outras redes existentes.

Só para termos uma ideia, o Ibope divulgou uma pesquisa em março deste ano apontado que os brasileiros ficam, em média, 3h39 diárias navegando na internet. E que as redes sociais são os sites mais acessados por nós.
Como trata-se de uma média, é importante salientar que os mais jovens, grandes consumidores de conteúdo digital, ficam mais tempo conectados.

Sendo assim, as redes sociais são verdadeiramente uma terra de oportunidades. Principalmente para as empresas ou quem deseja empreender. Esse é um lugar adequado para a geração de leads.

Comparação de como as redes sociais são hoje mais importantes que as mídias tradicionais.

Criar conteúdos em vídeo

O vídeo vem tomando seu espaço e popularizando-se muito rapidamente. Isso vem ocorrendo por conta da facilidade de produzi-lo nos dias de hoje, através dos smartphones e webcams. Qualquer usuário de internet pode gravar algo, disponibilizar em seu canal no Youtube, por exemplo, e depois compartilhá-lo em outras redes sociais.

Outros motivos para essa popularização é que muitas pessoas preferem assistir e ouvir um conteúdo a ler um artigo, especialmente os mais jovens, que já foram educados digitalmente, sendo grande consumidores desse tipo de mídia.

Uma das grandes vantagens do conteúdo em vídeo é que ele é de fácil consumo, principalmente nos dispositivos móveis. Para os especialistas, ter um vídeo em uma página de produto aumenta em até 85% a intenção de compra, por reforçar a confiabilidade do produto para o cliente.

Sendo uma opção tão interessante assim, nada melhor que usá-los em blogs, afinal de contas eles deixam o seu conteúdo mais completo e dinâmico, possibilitando uma maior chance de interação com os usuários.

Produção de conteúdos ricos

O conteúdo rico nada mais é do que um material informativo, aprofundado, mais volumoso (em alguns casos), mas que acima de tudo agrega valor para seus visitantes. Podemos citar como exemplos os e-books, templates, infográficos, webinars, white papers, conteúdos relevantes de textos, dentre outros.

Uma das formas mais indicadas de se conseguir leads através desses materiais são as Landing Pages, páginas criadas com foco na conversão, sendo otimizadas estrategicamente para vender um produto ou serviço.

As Landing Pages servem para você oferecer um conteúdo relevante, como um e-book, em troca de algumas informações valiosas de contato, como nome, e-mail e telefone. A partir disso, a empresa passará a ter um potencial cliente nas mãos, para poder trabalhá-lo em busca de seus objetivos.

Por falar em e-book, essa opção é perfeita para conteúdos mais longos que não atrairia muito a atenção se postado em blogs. Em contrapartida, ele aborda de maneira completa, mais didática e dinamicamente falando, um assunto.

Por isso, é interessante para o leitor, efetuar o download do e-book, a fim de ter uma leitura mais tranquila. Trata-se de um formato barato para se desenvolver e que possui boas chances de viralizar (tudo vai depender da qualidade do conteúdo apresentado).

Os infográficos são eficientes para quem não tem muita paciência para leitura. A mistura de texto e visual, tudo bem resumido, atende as pessoas que querem aquela informação com seus pontos principais, sem a necessidade de se aprofundar demais no assunto.

Mais uma estratégia de marketing de conteúdo ligada a materiais ricos é o webinar. Trata-se de uma conferência digital, onde cria-se conteúdo de qualidade cujo tema é direcionado a certos segmentos de público.

Pode ser ao vivo, quanto gravado, utilizando uma câmera amadora ou o próprio smartphone. Um webinar bem produzido pode até se tornar um e-book futuramente.

Exemplo de uma Landing Page.

Envio de E-mail Marketing

O bom e velho e-mail ainda tem espaço para a produção de marketing de conteúdo. O chamado e-mail marketing é altamente utilizado em muitas empresas para envio de mensagens ou notificações com o intuito de espalhar conteúdo, atrair novos visitantes e aprofundar relacionamentos com a base de contatos.

A atividade busca oferecer mensagens com as ofertas certas para um potencial cliente, aumentando consideravelmente a taxa de conversão. Enviar newsletter, basicamente um boletim informativo autorizado pelo cliente (eis a diferença com o spam, que não é autorizado), também faz parte dessa atividade.

Todos nós recebemos esse tipo de e-mail e isso ocorre porque passamos nosso endereço virtual quando compramos ou nos interessamos por algo. Dependendo de quem nos envia, e de como chega o conteúdo dessa mensagem, o e-mail marketing passa a ser muito confundido com o spam. Por isso, é preciso se preocupar com o conteúdo a ser enviado.

Depois de enviar os e-mails, precisamos mensurar as métricas, através das taxas de abertura, quantidade de cliques e taxa de rejeição, que já foram explicadas anteriormente. Com esses resultados, é possível melhorar ainda mais a estratégia de conteúdo para o seu negócio.

Como o marketing de conteúdo se relaciona com SEO?

Se o marketing de conteúdo pede a existência de artigos para blog com qualidade e riqueza de informações, automaticamente está ligado a necessidade do uso de técnicas de SEO. Até porque necessita-se que tais artigos estejam bem posicionadas na primeira página dos principais buscadores do mercado, como Google e Bing.

Quanto mais à frente o blog de sua empresa estiver do concorrente, maiores serão suas chances de conseguir mais cliques.

Quando criamos conteúdo de real valor, outros sites o utilizam como fonte de informação, divulgando sua página e referenciando-a como algo relevante. Ao criarmos um grande volume de conteúdo relacionado, acaba-se por criar o chamado núcleo de conteúdo, que possui bastante valor para o buscador.

Ao se pensar em entregar soluções para os problemas vividos pelo seu público, você deve sempre tentar entender como ele busca por essa solução, para fazer com que ele te encontre mais facilmente. Portanto, uma boa estratégia de SEO deve ser muito bem pensada, para trabalhar em congruência com sua estratégia de conteúdo.

O SEO, contudo, não se resume a esse conceito apenas. Existem muitas particularidades sobre esse tema, mas que serão tratadas no artigo que fala especificamente de SEO e suas relações com as demais estratégias do marketing digital.

Boas práticas para criação de conteúdos para blog

Os conteúdos de um blog servem para educar o público e gerar o primeiro relacionamento sem pedir nada em troca. Utilizar SEO, como acabamos de ver, é uma prática essencial para ranqueá-lo bem.

Mas para iniciar esse trabalho, devemos ter um planejamento bem definido. E tudo começa através de um esqueleto, listando os principais tópicos do tema a ser escrito. Para quem é redator, o desenvolvimento do texto surgirá com tranquilidade.

Um blog post, quando em desenvolvimento, pode ser quebrado em categorização. Como se montássemos um quebra-cabeça, associando os temas dentro de cada pensamento.

Outra dica importante é validar tudo com uma segunda opinião. Ou seja, pedir para que outras pessoas leiam o texto finalizado e comentem a respeito. Afinal, quando se escreve, deixa-se de enxergar algumas falhas próprias.

Vejamos, agora, duas situações praticamente obrigatórias no que diz respeito às boas práticas para criação de posts: o título e o parágrafo.

Título

Uma das partes mais importante de um artigo é o título. É ele quem vai aparecer quando compartilhamos um blog post.
Portanto, é necessário que ele seja atrativo. O título é tão importante quanto o conteúdo. Se for necessário, crie vários títulos até encontrar o mais ideal.

Vamos ver algumas fórmulas vencedoras para a criação de títulos. Utilizaremos o tema o qual estamos trabalhando (Marketing de Conteúdo) e exemplos de títulos baseados nas fórmulas:

Tema + chamariz: Marketing de Conteúdo: tudo que precisa saber para começar a utilizá-lo. Olha só, exatamente o título desse nosso artigo;
Perguntas/respostas abertas: Como seu blog pode ter sucesso utilizando marketing de conteúdo;
Listas e números: 5 dicas matadoras de como utilizar marketing de conteúdo em seu blog;
Provocador ou controverso: 5 erros que você pode estar cometendo ao utilizar marketing de conteúdo.

Parágrafo

Para que a leitura de um texto seja bem mais agradável é extremamente importante que ele seja quebrado em curtos parágrafos.

Os leitores de hoje costumam dar uma olhada geral em um artigo para saber se é isso mesmo que buscam consumir. Grandes blocos de texto atrapalham esse expediente e afugentam os leitores.

Usar imagens, infográficos e vídeos ajudam na quebra do texto, além de torná-los mais interessantes e dinâmicos. Os subtítulos também são armas poderosas e que se alinham com as técnicas de SEO.

Uma coisa importante a se dizer é que quanto maior e mais completo for um texto, maiores são as chances dele ser compartilhado no Facebook, por exemplo, em relação aos menores. Mas desde que ele contenha informações que agreguem valor para quem o lê.

Interação com o leitor

No final de um texto escrito para blog, é recomendável que se utilize um CTA (call to action), que nada mais é do que uma chamada de interação com o leitor.

Saber se aquele conteúdo foi útil, críticas a respeito, opiniões e elogios, por exemplo, são aspectos importantes e que devem aparecer, nesse tipo de texto.

Portanto, no final de cada conteúdo criado, incentive o leitor a dar o seu feedback a respeito do texto que foi lido. Isso ajudará você a ter um controle maior da qualidade, e aceitação, dos artigos publicados.

Tamanho dos conteúdos

Apesar dos conteúdos mais longos terem uma chance maior de um bom ranking (desde que o assunto abordado seja relevante), é possível elaborar textos curtos, mas que também terão uma boa chance de serem bem ranqueados.

Para isso, basta apresentar um texto objetivo, com informações bem relevantes e que condizem com as especificações abordadas.

Portanto, não faz sentido escrever um texto longo apenas. Se o seu conteúdo for menor, mas possuir uma boa estruturação, coesão e organização textual, além de agregar valor ao leitor, é bem provável que você consiga um bom ranking com esse artigo.

Revise seu texto

Depois de escrever o seu artigo, você já pode publicá-lo, certo? Errado! Nunca publique um texto, antes de fazer uma boa revisão dele.

Essa dica pode parecer óbvia, contudo é uma etapa fundamental na hora de criar um blog post. Encontrar os próprios erros, ao contrário do que se pensa, não é uma tarefa tão simples e envolve muita concentração e cuidado.

Dessa forma, faça a revisão de todo texto que você escrever antes de publicá-lo. Sempre irão surgir erros que passaram despercebidos, durante a produção.

Saber como escrever um blog post é essencial para atingir um bom ranking.

Considerações finais sobre marketing de conteúdo

Agora ficou fácil entender para que serve o marketing de conteúdo e como fazê-lo. Como podemos observar, o marketing de conteúdo aparece com o objetivo de direcionar e otimizar a criação e a distribuição desse conteúdo.

Para as empresas, e demais interessados, investir em um profissional competente pode ser mais rentável em termos de resultado. O mercado está preparado para essa nova fase digital a qual estamos vivendo.

Se você acha que faltou algo relevante nesse artigo, aproveite para completá-lo através dos comentários. E se tiver alguma pergunta, teremos o maior prazer em respondê-la.

Aproveite também o espaço para dizer se você usa marketing de conteúdo em sua empresa, negócio ou projeto e como tem sido seus resultados efetivamente.

Até a próxima!

Share

NInja 01

Treinado nas profundezas da Colina histórica de Feng Xhin, o ninja 01 é o especialista em SEO da equipe e coordena todas as técnicas avançadas que são usadas pelo clan para surpreender os competidores e aparecer no Google.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *